terça-feira, fevereiro 21, 2006

Destino

Amei a solidão pra não ficar sozinho

Sorri do destino

E fiz da tristeza meu hino

O tema da vitória de um peito vazio coração partido

Levanto das cinzas e começo de novo

Pelo prazer de voltar ao pó

E faço das lágrimas meu sorriso

Minha pièce de résistance

E o que tiver que ser, será

editado às 12:28

5 comentários:

  1. Como eu disse, felizmente não estou chorona (muito) hj. Senão, q vexame seria, visto q estou no trabalho...
    O primeiro verso; o terceiro... ah...

    ResponderExcluir
  2. deslise,
    ame e deslise.

    ResponderExcluir
  3. q bonito, José! (ao mesmo tempo triste) beijos, Aline

    ResponderExcluir
  4. Você tem a sensação de que a tristeza é sempre mais poética?? Eu tenho.

    Bjs

    ResponderExcluir