quarta-feira, abril 12, 2006

Tenho andado ocupado por uma rotina que eu sempre procurei evitar. Mas da qual não consigo escapar. Sobra pouco tempo pra pensar, pouco tempo pra sentir. É bom, que assim descansa um pouco o coração, que não esquece, apenas adormece, enquanto a razão pensa dirigir os rumos deste barco por um oceano calmamente revolto, que de lar não tem nada, só os navegantes ocasionais que encontramos por aí e aprendemos a chamar de amigos. Mas que o vento do destino insiste em levar para longe de nós, para onde não podemos ver ou tocar apenas lembrar, desejar e, mesmo a distância, amar. Para estes, esta nota. Para o mar, a promessa de uma boa briga. Sempre!

6 comentários:

  1. Mistura de tristeza. De raiva. De desilusão, ou de 'dor aceita'. Conhecida. E todavia - nem tanto. Tem algo aqui. Um espírito disposto a brigar. Isso é bom.

    ResponderExcluir
  2. Lindo José, lindo
    bjinhos meu amigo :o)

    ResponderExcluir
  3. Putz... como vc consegue fazer de uma nota tão simples algo tão lindo?

    Hey, se precisar de um parceiro pra desbravar o mar, conte comigo, hehe!

    Eu ajudo na programação! =O HAHAHA!!!

    ResponderExcluir
  4. vc consegue da vida as palavras e por mais simples q pareça é bonito. O mar por aqui tbm anda revolto, e sim está tendo uma briga , se boa não sei , mas ainda há animo p/ brigar, p/ não se conformar. bjin

    ResponderExcluir
  5. nota q me fez sentir o cheiro da solidão... ai, ai. abraços, Aline

    ResponderExcluir
  6. Lindo cara! Você sempre me impressiona! Pelo texto e pela coragem de desafiar o mar.

    Abraços!

    ResponderExcluir